"Apenas sentimentos, refletidos através de uma conversa, filme, livros, séries, tudo aquilo que nos faz enxergar a vida de uma forma diferente e irrefletida em nossas emoções".

sexta-feira, 5 de junho de 2015

Medo

O medo é um sentimento que chega e me paralisa, é aquele arrepiar, que vem dos pés, sobe as pernas e quando chega a coluna, chego a ficar paralisada e aterrorizada e finalmente ele me penetra ao chegar em minha cabeça.
Um sentimento inexplicável, num momento estou apenas a visualizar a minha alegria e no outro o sinto se enroscar em meu corpo, ser´q eu um dia ele vai embora?
A primeira vez que o senti era criança, ainda nem o sabia o identificar, mas ele me fazia ser a perfeita estátua, pois a única coisa visível era o arregalar dos olhos e o pulsar constante da veia em meio pescoço, era como a chuva que chega e vai mesmo me deixando a impressão de jamais se ir.
Hoje compreendo, o sentimento infame de medo, o pulsar da realidade dentro de mim, a decepção agravante de saber de tudo o que se pode ser e não fui e o desejo ardente de corrigir e no agora ser tarde.
No mais, só o agravo e ainda o sentir, mas como um cobertor do quê como o meu real sentimento de medo, pois agora me deleito junto a ele e desta forma vamos ambos seguindo nesta jornada, ele me ampara e eu o agarro e juntos nos completamos, agora sem os monstros escondidos no armário ou embaixo da cama.
Medo, medo, medo...