"Apenas sentimentos, refletidos através de uma conversa, filme, livros, séries, tudo aquilo que nos faz enxergar a vida de uma forma diferente e irrefletida em nossas emoções".

sexta-feira, 5 de junho de 2015

Desafio de Leitura Nº 31 - Charlotte Street





"Nunca me senti tão sozinho, nunca tão consciente de mim mesmo.  O que eu era, o que não fui e o que eu quero."
 Um romance, meio diário, uma paixão platônica de um homem de 30 anos, com um relacionamento terminado, morando com um amigo dos tempos da faculdade que vive de vídeo games, é assim a vida de Jason Priestley, que como freelance na área jornalística em London Now, porque sua amiga e ex-amante Zoe o contratou, só com criticas memoráveis aos amigos.
Um dia na Chalotte Stree, ele decide ajudar uma jovem cheia de sacolas, e se apaixona pela mesma, que acaba esquecendo uma máquina fotográfica descartável, ai começa toda busca de esperança e desesperança, faça acontece e lute por aquilo que desejas, nisso ele tem assuntos mal resolvidos com a ex Sarah que vai se casar com Gary, conhece Abby uma meio hippie que acaba modificando sua maneira de enxergar a vida e Matt um ex-aluno, que se inspirou em algumas de suas palavras que ele nem lembra e Dev seu companheiro que ainda não amadureceu completamente, mas que em alguns momentos surpreende.
Londres seu falso brilho pode ser reconfortante, sua obstinação, inspiradora.

A Londres de grandes amores, uma excursão por está grande metrópole, onde existe milhões de pessoas a procura de um lugar ao sol, fazendo com que Jase se encontra e está sempre se reformulando, por ainda não saber quem é ou o que quer.
Um livro confuso, porque o autor é confuso, mas tem partes inspiradoras para todos, momentos realmente que nos leva a pensar nas pequenas decisões amorosas, então só leia se estiver disposto a pensar e a refletir, porque tem explicações ilógicas de vídeos games a um passo sobre a vida jornalística, mas tudo no foco de uma paixão platônica.

"E se a vida for feita de momentos?  E se nos não agarramos o momento?  E se outro momento nunca vier?  Você poderia ser lembrado como um herói ou poderia ser apenas uma pessoa que viveu anonimamente até o dia em que anonimamente morreu."