"Apenas sentimentos, refletidos através de uma conversa, filme, livros, séries, tudo aquilo que nos faz enxergar a vida de uma forma diferente e irrefletida em nossas emoções".

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Livro: Por onde o tempo anda é cidade


Mas, um presente da Feira do Livro e da mão da própria autora kkkkk, bem vamos lá ao que importa, esse livrinho é de poesia, confesso não leio muito poesia, só me apaixonei por Castro Alves, ainda bem, pois desta forma não posso fazer comparação, posso apenas dizer, que ele me conquistou, você começa a ler e sentir um pouco daquilo que ela está transmitindo, ainda mas porque, nos leva a refletir e nos conhecer e da emoção que nos dá, não posso esquecer dos desenhos em cada página, para ficarem com o gostinho de quero mais, vou publicar uma que gostei muito.


Proseada

Poesia saindo dos versos como que fala comigo olá, saindo dos dedos, dos seios, do vértice do movimento da minha voz, que inutilmente fecha-se num sonho estelar de varrer desses mundos da solidão de sermos tantos.  Seres vastos mais e maiores dentro de um globo - quem sabe? - caminhantes de uma empreitada que tem no escuro um teor de claridade de ver com as mãos a esperança no olhar.  Poesia saindo de mim, de ti, de nós, em que invade a cidade dos tempos perdida áurea poética incansável segue acreditando no póstumo nascer do sol alevantado.  Poesia "voando fora de asa", buscando na árdua face dos tempos a básica substância de amar sem medida, criando e vivenciando a "arte de amar" como a arte de fazer poesia, talhar simetria de ver no silêncio o contorno sorriso de um ávido beijo.  Levantar-se como quem anda nebulosas nos pés de sonhos feito nuvens.  Ir, sem mais.  Como se fosse a vida nada além, como se fosse a vida aqui o além de estar e ser sem tantas delongas, posto que nos reflete a inevitabilidade da vida em sua máxima de ser ela um grande destino inevitável de ter em sua essência a possibilidade de se reinventar em cores.


Contato: carol@hotmail.com