"Apenas sentimentos, refletidos através de uma conversa, filme, livros, séries, tudo aquilo que nos faz enxergar a vida de uma forma diferente e irrefletida em nossas emoções".

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

O palhaço...

Sim, gente venho falar dos palhaços, sendo que eu tinha verdadeiro pavor deles, e até o presente momento não me sinto muito bem perto de um, sei lá, me causa uma apreensão e arrepios, parece que algo de ruim vai acontecer, e como agora na Net tem muitos vídeos do palhaço imitador de assassino, melhor nem chegar perto, mas descobri algumas coisas sobre essas pessoas que trabalham como palhaço em hospitais, os que não causam medo por está de bata branca e só o nariz e o rosto pintado, o de circo é outra questão, então vim disseminar.
O nariz do palhaço é só um disfarce que menos o disfarça, o que mostra como somos na essência, seu nariz é vermelho porque ele já chorou muito, já caiu muitas vezes de cara no chão, suas calças e sapatos são grandes porque não lhe pertencem.
O palhaço é aquele que perdeu tudo, até mesmo a dignidade diante de outras pessoas.  Mas só quem perdeu totalmente a dignidade para o sistema é que pode atingir outra condição da mesma, que vai surgir de dentro dele mesmo a partir do momento em que ele aceita suas fraquezas, aceitar suas condições de perdedor sem mágoas ou ressentimentos, sem autopiedades e sem culpar ninguém pelo seu fracasso.  O palhaço se supera quando rir de si mesmo.
O palhaço não é triste, ele tem um olhar de profunda compreensão de todas as misérias humanas.  Mas ele é feliz porque ele conhece a si mesmo, é feliz justamente por ser "o idiota", por não fazer parte do mundo das hipocrisias sociais, do mundo daqueles que se arrogam ser mais inteligentes e espertos do que os outros.
O palhaço conhece todas as fragilidades e fraquezas, não é ninguém que aponta isto para ele, é ele mesmo quem mostra aos outros, se divertindo com isto, feliz por ser quem ele é, da sua fraqueza, ele tira sua força.
O nariz é apenas um código como se, ao colocá-lo, ele pudesse ser quem realmente é, como se ao esconder o nariz, só revelasse o ser humano, aquele que não finge fala do que vê, seja da barriga imensa de uma pessoa ou do bigode de outro, é como se com o nariz o palhaço, pudesse fazer e falar coisas que não correria o risco de ser levado a sério, fazendo dos outros uma constante piada.
Durante uma semana atribulada, tive o prazer de conhecer um pouco sobre o palhaço, e todos nós temos um pouco dentro de si, basta ter o desejo de colocar pra fora, é um constante aprendizado, pois aquele que sofre é o que mais cuida e respeita o próximo.