"Apenas sentimentos, refletidos através de uma conversa, filme, livros, séries, tudo aquilo que nos faz enxergar a vida de uma forma diferente e irrefletida em nossas emoções".

domingo, 9 de novembro de 2014

Prazeres Femininos

As mulheres, em algum momento da vida, enfrentam um dilema:  "Será que eu largo tudo para ficar com ele?"  Já os homens, para ficar com a gente, nunca precisam largar nada.  Mulheres casadas, quando se apaixonam por outro homem, têm que tomar várias decisões, sendo que a primeira é deixar a casa, aliás, o lar, e os filhos.  Essa história é meio mal contada pelos maridos, é claro: elas apenas trocam de vida e não estão largando filho nenhum.  Mesmo que depois ele passem os fins de semana, de 15 em 15 dias, com os pais, isso não é abandono.
A vida estará apenas mudando, como acontece com tudo o tempo todos.  Já os homens estão sempre na boa: nunca precisam optar.  Quando a vida toma outros rumos, geralmente têm o poder econômico em suas mãos - o que ajuda bastante, pegam um avião e levam os filhos para passar um finzinho de semana em Miami, o que atenua qualquer sensação de ter abandonado o tal do lar.
Homens não precisam escolher entre a profissão e a família; mas, se uma superexecutiva - casado e com filhos - for transferida para Washington por dois anos, o marido vai largar o trabalho ou ela é quem vai ter que decidir entre a carreira e o casamento?  Agora, o contrário: se ele tiver a oportunidade de passar uma temporada num país estrangeiro, qual será a opinião dos amigos? "Ah, que ótimo para as crianças, vão aprender outra língua."E quanto ao trabalho dela, que mesmo não sendo importantíssimo segue em franca ascensão?  Ora, ora quando voltar pode começar tudo de novo - e enquanto estiver morando fora terá chance de aproveitar vários cursos, de história da arte a pintura em porcelana.  Os homens, às vezes, só matando.  Eles quando têm que viajar dois dias a trabalho, limitam-se a pedir que ela faça a sacolinha básica para levarem.  Já as mulheres têm que deixar a casa organizada e os filhos com alguém, que nunca é o pai,
controlando se fizeram  os deveres, se foram ao dentista - e sem esquecer de manter a geladeira cheia.  Mesmo assim, vão ter que telefonar umas 18 vezes seguida por dia para ver se está tudo em ordem.  Ah, como deve ser bom ser homem.  Liberdade mesmo, só eles sabem como é.  Mulheres fazem tudo o que eles fazem, porém com remorso  e culpa.  Daqui a umas 12 gerações talvez não, mas até lá vão continuar a fazer e a sofrer.  Já os homens estão tão acostumados a por poder tudo que jamais conhecerão o grande prazer de - mesmo com culpa - fazer o que não pode.  Por exemplo, encontrar um desconhecido num bar e tomar um drinque, coisa que as ditas mulheres sérias não têm o direito de ousar.  Dizer e ouvir tudo o que uma moça correta não deveria e ir às últimas consequências com quem bem entender, mesmo sentido remorso; afinal, os direitos são iguais ou alguém vai negar isso? Mas por que a graça dessas coisas é tão maior para as mulheres do que para os homens?  Porque para elas há o grande prazer; que é o da transgressão.  Os homens, como têm direito a tudo, nunca transgridem e não sabem o que estão perdendo.  Porque transgredir é das melhores coisas da vida.

Danuza Leão 
(Revista Cláudia , Agosto/2006 - Conversa com Danuza)