"Apenas sentimentos, refletidos através de uma conversa, filme, livros, séries, tudo aquilo que nos faz enxergar a vida de uma forma diferente e irrefletida em nossas emoções".

segunda-feira, 9 de março de 2015

Desafio de Leitura Nº 37


"Portanto, sou uma refugiada, e me sinto muito solitária.  Tenho culpa se não me pareço com uma jovem inglesa e não falo como uma nigeriana? Ora, quem disse que uma jovem inglesa precisa ter a pele tão clara quanto as nuvens que flutuam nos seus verões? Quem disse que uma moça nigeriana tem de falar um inglês capenga, como se o inglês tivesse se chocado com ibo, lá na atmosfera superior, e chovido dentro da boca da moça numa enxurrada que quase a afoga e a deixa engasgada com doces histórias sobre as cores vibrantes da África e o gosto de banana-da-terra frita?  Não igual a uma contadora de histórias, mas como uma vítima resgatada do dilúvio, tossindo e expelindo a água colonial de seus pulmões?"




 Esse é um daqueles livros que você compra em promoção ou apenas pela capa que lhe chama atenção, eu o adquiri ele através dos dois motivos, então me surpreendi com a leitura e também me transportei para um mundo que imaginamos não existir por não fazer parte de nossa vida, o nosso egoísmo é tão intenso que esquecemos muitas vezes ás dificuldades dos outros e mesmo que nos deparemos com ela, pensamos que é uma brincadeira uma ilusão e agimos com indiferenças, mas ela volta e nos cobra.

"Todas as palavras sabem se defender.  No momento em que você vai agarrá-las, elas se dividem em dois significados diferentes de modo que a compreensão se fecha no vazio do ar. Admiro vocês.  Vocês são iguais a feiticeiros, tornaram sua língua tão segura quanto o seu dinheiro."

O que sabemos da África, apenas que lá é um país com uma calamidade grande econômica, social e saúde, mas não nos perguntamos o que ocorre com eles realmente, como vivem o que sentem, e principalmente como se sentem quando são invadidos pelos Homens Brancos.

"Todo mundo tem uma opinião, não é mesmo? Talvez seja isso o que está errado com este pais."

Realmente todos nós temos uma opinião do que é certo e errado, mas ficamos tão impactados com nossos questionamentos que tem momentos que não sabemos definir.
Este livro vai tratar disso, o que podemos falar que é certo para uns é errado para outros, é uma estória/história emocionante e perturbante, tem momentos que você chega as lágrimas e outro é só revolta.
Uma ação, um encontro, um recomeço e tudo na vida se modificou, isso aconteceu na vida de Andrew, Sarah, Abelhinha, Charlie e Lawrence, apenas uma decisão tomada num impulso mudou a vida dessas pessoas, e tem um momento que esta decisão volta pedindo uma resposta.

"Reavalie isso. Dez por cento é um percentual expressivo.  Com dez por cento você compra um mundo estável onde tocar a vida.  Aqui, em segurança no Ocidente.  Está é que é a maneira certa de pensar.  Se todo mundo doasse dez por cento, não precisaríamos dar asilo a ninguém."

Iremos encontrar nestas páginas momentos de puras infantibilidades, alegrias, ilusões, decepções, desencontros, maldade, amor e sim a realidade, de algo que não temos um conhecimento, mas que de alguma forma este pequeno livro irá nos relatar, a estória/história de Abelhinha é contada do outro lado do mundo, mas isso pode está ocorrendo do nosso lado, o medo, ódio, amizade e liberdade, tudo pode acontecer se nos dispomos a estender a mão.


"Senti meu coração alçar voo como uma borboleta e pensei:  Sim, é isso, algo sobreviveu em mim, algo que não precisa mais fugir porque vale mais do que todo o dinheiro do mundo, e sua moeda corrente, verdadeiro destino, são os homens.  E não apenas os homens deste país ou daquele país em especial, mas o secreto e irresistível coração dos homens."

Boa Leitura.