"Apenas sentimentos, refletidos através de uma conversa, filme, livros, séries, tudo aquilo que nos faz enxergar a vida de uma forma diferente e irrefletida em nossas emoções".

sexta-feira, 13 de março de 2015

Sentimento 2

Estou com o coração apreensivo e o sentimento que me toma é de angustia, medo e aflição, aquele momento entre o certo e o errado e não saber como agir, se estou na certeza ou incerteza, apenas me aperta o coração.
Desejos ou não desejos, o que realmente é o sentimento, o que está a me afligir, não posso deixar de pensar como agir.
Meu corpo estremece, me sinto fora de mim mesma, alto e a redor e só vejo s movimentos e ao escutar os barulhos não interajo, certo ou errado?  que está dentro de mim e o que tem desejando sair, qual é a razão?
Estou como a chuva, caindo e se derramando, sem direção, apenas levando e molhando tudo, é um sentimento inverso, pois não está claro.
É a minha cabeça que está a pensar ou apenas o sentimento que está aflorar?
O que se passa? O que realmente é este sentimento, agora está a aflorar tudo ou nada, estou a sentir o medo agarrar minhas pernas, a angústia a me apertar o coração, e o questionamento será que agi certa ou apenas foi um impulso?
São tanta perguntas, me sinto como em um palco, onde tenho que responder certo ou errado?
O que esperar ou o que espero?
Finalmente o choro se faz presente, travo ou coloco para fora tudo, afinal o choro alivia, o choro purifica, apenas chorar, pelo certo e pelo errado, apenas por ser eu mesma, num momento que não sei que estrada tomar.
Sinto a dor como um bálsamo, um alivio, é como se estivesse agora colocado tudo para fora do estômago e o alivio da dor, aquele em que você se estira na cama e sabe que agora terá  alivio, será que ele existe?
Escrever, escrever, colocar numa folha os sentimentos inversos, a dor é púrpura outem o seu negrume?
Quantas horas, dias, momentos são necessários para o alívio e o que é alívio? Reconheço meus erros, tomando forma e conta de mim, aquele momento em que nem o arrependimento que me consome me alivia.
Sussurros, escuto, com toda a força seus lamentos, sinto o cheiro pérfido deles, nesta forma é como um desenho animado ou um filme de terror que estou a me sentir na escuridão e só escuto, só sinto e pressinto, mas não sei de onde vem e nem como agir, a quem pedir socorro, o medo está a agarrar minhas penas, que já se encontram presas na corrente deles.
Os pesos no ombro é maior que os da corrente, tantos erros, tantos caminhos que desperdicei, quantas pessoas magoei, derrotei o que tinha de melhor em mim, só vejo agora a escuridão.
Fico aqui a refletir sobre os meus sentimentos.

22/2/2015