"Apenas sentimentos, refletidos através de uma conversa, filme, livros, séries, tudo aquilo que nos faz enxergar a vida de uma forma diferente e irrefletida em nossas emoções".

terça-feira, 3 de março de 2015

Retalhos

O proceder da vida é cheio de mistérios, ontem pode ter sido felicidade e o hoje ou amanhã é incerto, quando ficamos com receios do que pode vim a ocorrer.
A vida é um retalho ou nós somos um retalho de nós mesmo? Procedemos de modo anterior ou apenas imitamos o nosso erros? Sim ou não? Certo ou errado?
Estamos fadados a errar como no passados ou vivemos em tentativas de não cair no mesmo erro, fazemos novos passos, mas de certa forma não corrigindo e sim caindo de novo no mesmo erro, um erro continuo da linha da incerteza do destino.
Uma colcha de retalhos, cheia de remendos, no caminho da  incerteza, uma mistura do antes e uma reformulação do depois.
O que se aprende é algo que só nos marca, caminhamos esquecemos algumas atitude nossa que afetaram outrem e só lembramos daquilo que necessitamos, algo entre a  dor e alegria, mas não relembramos atitudes que tivemos ou como um dia podemos ser cobrados por elas, sejam  um ato ou pensamento, sendo a desculpa apenas um modo de esquecimento.
Um retalho de hipocrisia e egoísmo, sentimentos de nossa vida, pensando sempre em como a vida é nossa e só aprendemos que nossa colcha de retalhos é feita de pessoas e nos prendemos em pensar que somos nós o centro de tudo e todos.
Um ditado popular nos fala "Ninguém vive só", mas queremos as pessoas como nossas subalternas, nossos serviçais, sempre nos julgando superiores seja intelectualmente, materialmente ou financeiramente, preferimos viver dessa forma, sem entender o procedimento da interação social, do bem estar em estar com outro e transmitir e ensinar o outro, onde estaremos reconstruindo nossa colcha de retalhos.
Essa construção se dá no dia-a-dia, seja com nossos familiares, amigos, colegas, no trabalho, faculdade, ônibus no transito, estamos em constante construção, somos todos responsável por aquilo que transmitimos, somos soldados numa guerra pessoal, sendo apenas humanos cheios de erros e defeitos, influenciadores uns dos outros.
Ente sol e chuva, somos um amontanhados de retalhos, unidos num único propósito a Felicidade, seja individual ou universal, no ontem/hoje, sempre estamos nesta caminhada.
Um momento, um sentido, um sentimento, no meu e nossa emaranhada colcha de retalhos em constante construção.

Em: 22/2/2015