"Apenas sentimentos, refletidos através de uma conversa, filme, livros, séries, tudo aquilo que nos faz enxergar a vida de uma forma diferente e irrefletida em nossas emoções".

terça-feira, 17 de março de 2015

Desafio de Leitura Nº19 - Yakuza Moon




"Se a gente que corre perigo, a gente literalmente corre do perigo"
Uma família japonesa tradicional, cheia de segredos ou será que toda família em segredo? Mas, sendo a terceira filha de quatro filhos, aprendeu desde cedo o significado de força e determinação e também o desejo ardente de viver. 
Shoko Tendo é uma força de mulher que lutou por tudo o que mais desejava e no final ficou sem, apenas desejava o amor e a liberdade, mas a vida tinha planos traiçoeiros para ela, mesmo que aos 12 anos quando foi com sua irmã Maki se transformar em uma Yanki e desde ai viu como a vida do Pai deu uma deteriorada, ficou apenas a certeza de que ela buscava " As surras do Pai, era como apenas uma ilusão, pois só representava a dor física, fazendo com que ela sempre busca-se novas emoções, sem sentir remorso pela mãe".
"Eu, assim como elas, nunca havia levado muito a sério todo aquele papo de sexo - transar era só uma espécie de rito de passagem para você se transformar em adulto".
Pode ter sido este pensamento dela que a fez ver o sexo apenas como uma fuga ou um momento de ser usada por um proveito, seus relacionamentos foram na maioria interligados de violência, drogas e poder, mesmo vivendo desta forma desde as lembranças mais juvenis, teve alguns amantes que lhe ensinaram o que era ser e o poder que ela tinha sobre eles.
"Sempre quis ser a mais importante para alguém e constantemente acabava me contentando com a segunda posição.  Os homens que cruzavam meu caminho viviam dizendo que me amavam, mas eu nunca achava que estava à altura deles.  Por ter uma deficiência na autoconfiança, bastava ouvir um "eu te amo" para eu deixar a outra pessoa tomar a frente da relação, e por causa disso eu acabara me envolvendo em uma série de casos com homens casados.  E era capaz de aceitar qualquer coisa deles.  Bem, mas agora eu estava farta disso - não queria mais saber daquela postura covarde.  Era hora de começar tudo de novo".
 Depois de mais uma surra de uma de seus amantes, onde a deixou com o rosto desfigurado e tomando a decisão de comandar seu corpo e sua vida, ela acaba fazendo uma tatuagem, que tinha vivido como uma cortesã, foi o momento em que tomou a rédeas de sua vida, com apenas 20 anos já tinha vivido de tudo um pouco e conhecido o pior lado da vida, mesmo assim nunca desistindo e acreditando no melhor, muitos homens bons apareceram em seu caminho para lhe ajudar, mas como uma mulher independente e sofrida mesmo assim ainda tomou decisões erradas, sempre levando em seus ombros a irmã mas velha Maki e a mas nova Na-Chan, e também tentou de todas as formas ajudar os pais, sofrendo muito com a morte da mãe.
O maior aprendizado que esse livro nos trás não é só a biografia de um País e sua história, mas sim o do que o próprio ser humano é capaz de fazer para se erguer.
"Penso muito na lua.  Em como ela segue seu ciclo constante de inchar e minguar, tão parecido com os altos e baixos da minha própria vida.  Quando revejo minha trajetória até aqui, imagino que nasci sob a luz da lua nova.  E que então, naquele tempo incerto em que vaguei em busca do amor, a lua crescente me iluminava.  Quando me casei, provavelmente devia ser o tempo da meia-lua. E agora, sozinha, será que estarei à altura de uma lua cheia?  Será que finalmente superei minhas fraquezas e amadureci?  Aqui estou, iniciando a sós um novo caminho de vida.  E, se no final descobrir que ele era um beco sem saída, acho que poderei voltar e recomeçar com a próxima lua nova".