"Apenas sentimentos, refletidos através de uma conversa, filme, livros, séries, tudo aquilo que nos faz enxergar a vida de uma forma diferente e irrefletida em nossas emoções".

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Reencontro...




Pode-se passar 1000 anos, mas um dia você irá encontrar aquela pessoa que fez teu coração bater descompassado e vocês sentarão para conversar e dizer o que mudou de seus desejos e sonhos, e de lá pode sair mais fortalecida ou decepcionada pelas decisões, nunca existe um amor igual, mas sempre existe aquele que você poderia querer voltar atrás.
Ai sentados ambos em uma cafeteria, com receio de fazer as perguntas que rodam nossa cabeça depois de mais de 10 anos, ficamos na ambiguidade ou na facilidade de tentarmos ser simpáticos um com o outro, mas depois de um tempo e a curiosidade e também a timidez vai embora e começamos a nos machucar, a dizer tudo aquilo que estava ali, pronto desde o início a ser dito: casei, tenho filhos, não sou feliz e você o que fez? Me escondi dentro de mim mesma, não casei, não tenho filhos e ainda tem dificuldades de relacionamentos, dai ficamos ambos olhando um para o outro, e ouvindo a música de fundo que fala de um amor (Photograph).
Um aprendizado de reencontro, tudo que poderíamos ter vivido, tudo que sonhamos, tudo que sentimos, um pegar de mãos e olho no olho, um abraço, que dura até o celular tocar, nenhum dos dois deseja saber de qual e que o tempo acabou, passou tão rápido, tantas coisas ficaram inacabadas, mas é chegada a hora.

Enfim, a vida real volta de uma forma a fazer com que ambos se sintam estranhos, acabamos aqui, sem troca de telefones, e-mails, Facebook, qualquer lembrança de desse dia, tirando umas feridas cicatrizadas e outras abertas do porque, mas a vida pede passagem, um novo abraço, beijo no rosto, quase um selo, eu vou por um lado e você por outro, mas depois de alguns passos olho pra trás e tento ver o que foi deixado ali.