"Apenas sentimentos, refletidos através de uma conversa, filme, livros, séries, tudo aquilo que nos faz enxergar a vida de uma forma diferente e irrefletida em nossas emoções".

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Na Madrugada...

Uma noite insône, dentro de um dia de dor, é alto explicativo ou apenas motivo de rever muitas coisas em vida.
Depois de chegar bem perto de passar desta para uma melhor, passei uma noite insône, tudo me consumia e principalmente o momento de ficar em dúvidas sobre o que fazer ou como fazer, sendo que sou a pessoa que mais dificuldades tem para tomar uma decisão, assumo sou a indecisão em pessoas, se possível escolheria todos só para não ficar no se, mas a vida não é assim, ela sempre nos cobra uma decisão.
Andei todos os cômodos, mexi todos os livros (que não são poucos), arrumei armários, tomei litros de café (que sempre me dá sono), fucei facebook e nada dele vim para me aliviar.
O que me consume é apenas o momento de despedida, que vivo a quase um ano, é o momento de dizer adeus, aquelas pessoas que para mim são muito importante, é o momento de caminhar sem empecilhos, sendo que eles nunca o foram, é tomar decisão não só por mim, mas por outras pessoas, o que me aflinge é saber que eles não estarão ali para me ouvir ou me dá aquele abraço, é quando irei chegar em casa e sentir sua presença sem que esteja, é o momento que terei que novamente me dá com a dor.
Nem todo aprendizado do mundo me faz me preparar para este momento, nem todos os amigos do mundo saberão desta dor, nem toda a caminhada ou pôr do sol que me traz a tão bendita lua saberá confortar um coração já quebrado.
Não sei precisar, quantas vezes sobrevivemos ao coração partido o meu já foi despedaçado tantas vezes, que já deve estar em farelos, mas vamos lá, o mundo é cheio de imagens e momentos de lembranças e saudades, mas chega o momento de largar a mão e descobrir um novo jeito de caminhar, vou ali enxugar as benditas lágrimas, mas sei que tudo ficará bem, sou assim, um joelho ralado, umas olheiras e um bom café para se iniciar a nova caminhada.
Desta vez, não terá quem segurar minhas mãos, meus braços ficaram vazios, minha mente em turbilhão, a saudade apertando um coração, mas a certeza que no final tudo tem um motivo.