"Apenas sentimentos, refletidos através de uma conversa, filme, livros, séries, tudo aquilo que nos faz enxergar a vida de uma forma diferente e irrefletida em nossas emoções".

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Um mês tumultuado Abril...

Desde que se iniciou o ano, tenho passado por uma série de aprendizado, familiares, saúde, estudantil e profissional.
No decorrer dos meses, já fui visitada várias vezes pelo desânimo, histeria e outras que passam pela cabeça de cada pessoa no momento de desespero.
Mas, chegou ao limite neste mês, quando minha avó/mãe foi internada, sendo que ela tem apenas 87 anos, e no fim do ano, foi descoberta com câncer no pulmão, e nesta internação de 20 dias, muita coisa aconteceu, como descobrir que o tumor está tomando conta de ambos o pulmão e você não pode fazer mais nada, a não ser ver uma pessoa que ama morrer aos poucos.
Poderia vim aqui e falar da importância para vocês de se ter uma religião, mas não julgo necessário, afinal todos temos direito a sua escolhas, a minha doutrina me confortou, me ensinou, mas não me fez ainda a não ter crises constantes de depressão.
Com tudo isso, acabei tendo problemas na faculdade, onde não aparecia pelo tempo de internação de minha velha, e tive o prazer de ouvir de algumas professoras que estava reprovada, que pouco importava o que estava passando e que nos viríamos no próximo período.
Problemas familiares, onde todos brigam por não terem condições ou até mesmos desejo de cuidar, é como se aquela pessoa que agora não lhe serve para nada não tivesse valor.
Tenho um avô/pai com Alzheimer, uma mãe com câncer e minha velha que posso falar que é a fortaleza da família ruiu, então fiquei entre a cruz/espada tentando apaziguar, mas acabei interiorizando tudo isso, e no final ruí.
Passei 20 dias sem dormir, só dando cochilos, me sentindo impotente quando minha velha sentia dor, meu maior desespero era e é ela morrer comigo, não me sinto preparada hoje para me dá com esse sentimento.
Se estou em depressão sim, com tantas coisas percebemos que a vida continua e você tem que de alguma forma buscar forças de dentro de você, mesmo tendo pessoas que tentam de todas as formas me dá força, tem um momento que você é derrubada.
Devo de alguma forma ser forte, pois em nenhum momento passou pela minha cabeça tomar uma atitude drástica como me matar, afinal minha doutrina ensina muito bem o que ocorre do outro lado, mas voltar a vida de porra louca que tinha, sim, sair beber e porque não curti a vida o dia está sendo difícil.
E é neste momento que você nota como ainda tem gente hipócrita e insensível.
Você deve estar se perguntando que doutrina é essa, hoje sou espírita, mas fui por muito tempo católica e frequentei por um tempo a umbanda, mas respeito todas, porque falam de um mesmo Deus, e até mesmos os Ateus sãos muitas das vezes mais cristão que muitas pessoas, hoje tento ser melhor, não que tenha sido uma pessoa má, mas uma pessoa mais consciente do outro.
Pois bem, abril tá indo, mas o que ele fez comigo não se vai, vai ficar como um buraco dentro de mim, e num arroubo sempre posso voltar a cutucar essa ferida.
Amigos, tenho alguns, poucos na verdade, acredito que não cabe na palma da mão, assim como nem todos sabem o que estou passando, pois já vi aquele que te chama de amigo ri da sua cara na sua dificuldade.
Problemas todos temos, só a maneira de enxergar é que nos fortalece, convido a você que diz que sua vida não vale nada neste momento, ir visitar um hospital ou parar um pouco com um viciado, muitos de nós temos o conforto material, mas necessitamos do conforto pessoal, de alguém que pegue na sua mão e lhe olhe com interesse, que lhe abrace e não que lhe diga tudo vai dá certo, a verdade é melhor ser ouvida do que a mentira que conforta, sua vida só vai dá certo se você acreditar e correr atrás desta melhora.
Beijos.